Nuestras Arquitectas: chamada para Concurso de Fotografia

Para marcar o dia 25 de Novembro de 2020, Dia Internacional da Eliminação da Violência contra as Mulheres, Nuestras Arquitectas lançam um concurso de Fotografia de obras de arquitectas.
Data limite de envio: 20 de Novembro de 2020
Organização: Inês Moisset (Un día | Una arquitecta), Carolina Quiroga (Lina Plataforma), Verônica Benedet (Arquitetas Euskadi) e Eva Alvarez Isidro (YesWePlan!).
Jurí: acqua Mercé (Argentina), Vanessa Vielma (ArchDaily México), Atxu Amann (UPM, Espanha), Olatz Ocerin (ETSA de São Sebastião, Espanha), Patricia Santos Pedrosa (Universidade de Lisboa-Mulheres na Arquitectura, Portugal), Patrizia Montini (IUAV, Itália), Solidão Larraín (Chile).


Documentário "Women in Architecture" (2019)

Integrado no FEMCITY program, com curadoria de Caviar.Archi e produzido por Les Délires Productions, o documentário "Women in Architecture" (2019) está disponível para visualização online. Conta com a participação de Andrea Leers, Jane Weinzapfel, Francesca Perani, Imma Jansana, Eliana Perotti, Lori Brown, Fluvia Fagotto, Patricia Santos Pedrosa, Stéphanie Bouysse-Mesnage, Caterina Franchini e Liz Walder.


Participação no Colóquio DMA, Habitação, Pandemia, Investigação

No próximo dia 23 de Outubro de 2020,  a coordenadora do projecto W@ARCH.PT, Patrícia Santos Pedrosa, participará no "Colóquio DMA, Habitação, Pandemia, Investigação" organizado pelo Conselho Directivo Nacional da OA, na sua sede nacional em Lisboa. O painel "Investigação"será moderado por Jorge Figueira (OA) e contará com a participação de Patrícia Santos Pedrosa (UBI / W@ARCH.PT), Gonçalo Canto Moniz (CES / URBINAT) e Ricardo Agarez (UE / ERC).


"Urbanismo com Perspetiva de Género", uma sessão de Corações com Coroa

No âmbito do ciclo "Cidade que abraça", a associação Corações com Coroa dedicou uma sessão ao tema "Urbanismo com Perspetiva de Género". A conversa virtual foi moderada por Patrícia Santos Pedrosa, com Adriana Souza (Brasil) e Blanca Valdivia Gutiérrez (Col-Lectiu Punt6 de Barcelona). Este projeto resulta de uma parceria com o Coletivo Zebra, a Inland Norway University of Life Sciences, Norway’s Institute of Transport Economics e a Corações Com Coroa, e faz parte do projeto “Co-Lab Walk My City Free”. O projeto é cofinanciado pelos EEA Grants, através do seu fundo de relações bilaterais.


Vídeo da Escola de Verão "Cidades e Género"

Entre os dias 18 e 20 de Setembro de 2019, em Lisboa, a Escola de Verão “Cidades e Género: Perspectivas e Estratégias” permitiu-nos conversar, caminhar e discutir, colectivamente, sobre Cidade e Género. Foram três dias intensos com especialistas nacionais e internacionais e um grupo entusiasmante e entusiasmado de participantes!
vídeo final sintetiza um pouco do que aconteceu e do que fomos!
Agradecemos a todas as pessoas e instituições envolvidas.

Organização | Mulheres na Arquitectura, W@ARCH.PT e Um Género de Escola! (MA, BIP/ZIP)
Financiamento | CIG – Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia e Programa BIP/ZIP Lisboa
Apoio | Câmara Municipal de Lisboa, CIUL - Centro de Informação Urbana de Lisboa e CIEG – Centro Interdisciplinar em Estudos de Género  (ISCSP-ULisboa)
Realização e produção do vídeo | José Nuno Pereira e María Contreras


Ciclo virtual de conversas | Sessão 1. Histórias de Mulheres nas Artes, Design e Arquitectura

A situação pandémica obrigou-nos a repensar e a reagendar eventos. Criámos um ciclo de conversas virtual com o objectivo de reflectir sobre a História das Mulheres. A falta da presença física foi suavizada pela possibilidade de convidar investigadoras de outras localizações geográficas.

A primeira sessão, dedicada a "Histórias de Mulheres nas Artes, Design e Arquitectura" e moderada por Patrícia Santos Pedrosa, foi transmitida em directo no Facebook do projecto e muito participada pelo público.

Agradecemos a participação de Emília Ferreira, Lia Gil Antunes, Maria Helena Souto, Paula Monteiro e Silvana Rubino (São Paulo, Brasil)!


Edição de páginas da Wikipédia com as Wiki Editoras Lx | sessão 5

A 5ª sessão de edição colectiva de entradas da Wikipédia foi especial! O grupo Wiki Editoras Lx celebrou o 1º aniversário e conta com um percurso de muitas edições, traduções, frustações, resolução de problemas e alegria. Que seja um novo ano repleto de muitas novas criações!

Porque quem não é mencionada, não existe!

*Imagem do grupo Wiki Editoras Lx


A história das mulheres na arquitectura na Escola de Verão "Cidades e Género: Perspectivas e Estratégias"

O enquadramento dos desafios e das problemáticas da história das mulheres na arquitectura fi um dos temas abordados no primeiro dia da Escola de Verão "Cidades e Género: Perspectivas e Estratégias"(co-organização da associação Mulheres na Arquitectura, do projecto de investigação W@ARCH.PT e do projecto BIP/ZIP "Um Género de Escola!"). No dia 18 de Setembro, Patrícia Santos Pedrosa, coordenadora do W@ARCH.PT, partilhou uma tarde de reflexões com a arquitecta e investigadora Daniela Arias Laurino (Uruguai/Espanha, projecto Un Día / Una Arquitecta) e com as e os participantes da escola.


Escola de Verão "Cidades e Género: Perspectivas e Estratégias"

Pela primeira vez aconteceu em Portugal uma escola dedicada a temas da arquitectura e da cidade com perspectiva de género. Com co-organização da associação Mulheres na Arquitectura, do projecto de investigação W@ARCH.PT e do projecto BIP/ZIP "Um Género de Escola!", privilegiou-se a aplicação de uma metodologia reflexiva e participativa, com perspectiva de género. Entre os dias 18 e 20 de Setembro de 2019, no CIULisboa, a Escola de Verão "Cidades e Género: Perspectivas e estratégias", juntou estudantes de arquitectura, técnicas/os camarárias/os e pessoas ligadas ao associativismo, de diferentes partes do país, com especialistas nacionais e internacionais.

Durante 3 dias, conferências, worshops, caminhadas urbanas, visulização e debate de filmes, permitiram compreender quais as possibildiades de estratégias para: 1. Visibilização e reforço das profissionais (arquitectas, urbanistas, etc.) nos locais de decisão técnica e política; 2. Questionamento sobre a consolidação urbana das desigualdades e das consequentes resistências socio-espaciais e 3. Avaliação de realidades e processos urbanos consolidados ou em desenvolvimento e estratégias necessárias. O objectivo essencial foi cumprido: criar ambientes seguros e de debate que permitam aprender e trabalhar com ferramentas que visem a construção de estratégias mais sólidas de intervenção urbana com consciência das diversidades, para um quotidiano inclusivo.